SEGUNDA-FEIRA, 18 DE DEZEMBRO DE 2017 
Home
MENU
 Período de Liberação
  PAGINA >> EXCESSO DE ESPORTE ( OVER TRAINING )

Crianças baixas devem praticar esportes com moderação, sem se cansar e sem praticar atividades competitivas.
 
Nenhum esporte, em excesso, ajuda a crescer. Pelo contrário, atrapalham a estatura final. Crianças altas vão jogar Vôlei, ou Basquete, não que estes esportes melhorem a altura.
 
Excesso de atividade física consome o Hormônio de Crescimento e o IGF-1 (que é o verdadeiro fator de crescimento), e propicia a liberação precoce dos anabolizantes ( Testosterona), que por sua vez iram aumentar a calcificação das epífises ósseas e conseqüentemente, diminuirão a velocidade de crescimento.
 
O problema é que nossos professores esportistas confundem crianças saudáveis com esportistas olímpicos, mais prejudicando do que ajudando o esporte e ao crescimento do jovem.
 
O pior esporte para a altura é a Ginástica Olímpica, que além de causar a baixa estatura, deformam a coluna vertebral, podendo ocasionar lesão permanentes por deformação dos discos intervertebrais. (Vejam as fotos de reportagens sobre este Esporte).
 
O que menos atrapalha o crescimento é a Natação, pois dentro da água não há gravidade e isso facilita o crescimento ósseo. Mas não se pode praticar intensamente (competições), antes da idade ideal.
 
Quanto a Musculação, muito em moda atualmente, é às vezes pior que a Ginástica Olímpica, veja no Quadro 8 quantas lesões poderemos ter com essa prática.
 
Excesso de Futebol leva a pernas curtas, vide Romário e Maradona, cujas baixas estaturas foram causadas pelo não crescimento das pernas devido ao excessiva carga física sobre esses membros infância.
Estes atletas quando sentados tem a altura compatível com outras pessoas sentadas, mas quando se levantam mostram sua baixa altura.
 
Isso quer dizer que o excesso de esporte geralmente causa prejuízo ao crescimento das pernas, levando a baixa altura.
 
O mesmo se aplica ao Tênis, que quando praticado antes da idade ideal leva a deformação assimétrica do corpo e a baixa altura. O bom exemplo é o Guga, que teve a sorte de começar a praticar competições após os 16 anos por isso não teve prejuízo na sua altura final.
 
Quadro 8
 
No Quadro 9, vemos o aumento da calcificação óssea dos membros inferiores, em jogadores de Futsal. Houve neste caso fechamento precoce da epífise de crescimento e conseqüentemente baixa estatura à custa de pernas curtas comprovando cientificamente as declarações acima.
 
Quadro 9: Avaliação da calcificação óssea no Fêmur em jogadores de Futsal
 
 

 


 Clínica de Crescimento Infantil - Dr. César de Souza Lima Colaneri - CRMSP 20675
 Rua Bento de Andrade, 252 / Jd. Paulista / Cep: 04503-000
 Fone/Fax: 55 11 3884.8070 | 3887.4778 | 99393.5136 - baixaestatura@baixaestatura.com.br